Orionte - Exposição de 212 Horas

Crédito: Stanislav Volskiy, Anotação: Judy Schmidt

A constelação de Orionte é muito mais do que três estrelas em fila. É uma direção no espaço rica em nebulosas impressionantes. Para melhor apreciar esta região bem conhecida do céu, ao longo de muitas noites limpas em 2013 e 2014 captou-se uma exposição extremamente longa. Após 212 horas de exposição e um ano adicional de processamento, emergiu esta composição de 1400 imagens que abrange mais de 40 vezes o diâmetro angular da Lua. Dos detalhes mais interessantes tornados visíveis, um que chama particularmente a atenção é o Loop de Barnard, o brilhante filamento circular avermelhado no meio da imagem. A Nebulosa Roseta NÃO é a grande nebulosa vermelha perto do topo - essa é a nebulosa maior, mas menos conhecida, Lambda Orionis. A Nebulosa Roseta É a nebulosa branca e vermelha perto do canto superior esquerdo. A estrela brilhante e alaranjada mesmo acima do centro da imagem é Betelgeuse. A estrela brilhante e azulada em baixo e à direita é Rigel. Outras nebulosas famosas: a Nebulosa Cabeça de Bruxa, a Nebulosa da Chama, a Nebulosa Pele de Raposa e, se souber exatamente para onde olhar, a comparativamente minúscula Nebulosa Pequena Cabeça de Cavalo. No que toca àquelas três famosas estrelas que atravessam a cintura de Orionte, o Caçador - nesta fotografia podem ser difíceis de localizar, mas um olhar perspicaz vai encontrá-las logo abaixo e à direita do centro da imagem. Encontra-se aqui uma versão da fotografia com anotações.
Fonte: NASA

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Tipos de Estrelas

Nova Classificação do Sistema Solar

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Como surgiu o primeiro átomo?

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton