As principais teorias sobre a origem do universo



Desde os tempos mais remotos, a origem do universo tem mexido muito com a curiosidade do homem. Uma variedade de pesquisas e abordagens foram feitas para encontrar uma explicação plausível. Aqui, você pode dar uma olhada nas teorias mais elementares sobre a origem do universo.
Existem quatro principais teorias, são elas:
  • Teoria do Big Bang
  • Teoria Inflacionária
  • Teoria do Estado Estacionário
  • Teoria do Universo Oscilante
Atualmente, as mais aceitas são a Teoria Big Bang e a Teoria Inflacionária. Mas, veja aqui o que dizem especificamente cada uma delas:
Teoria do Big Bang
A teoria da grande explosão, mais conhecida como a teoria do Big Bang, é a mais popular e mais aceita nos dias de hoje. Esta teoria, com base em uma série de soluções de equações da relatividade geral, supõe que entre 14 e 15 milhões de anos atrás, toda a matéria do universo (incluindo o próprio universo) estava concentrada em uma área extremamente pequena, até que explodiu em um evento violento a partir da qual começou a expandir. 
Toda essa matéria, comprimida e contida em um só lugar, foi acionada depois da explosão e começou a se expandir e se acumular em diferentes partes. Nesta expansão, a matéria aos poucos se agrupou para dar lugar às primeiras estrelas e galáxias, formando o que chamamos de universo. Os fundamentos matemáticos desta teoria incluem a teoria geral da relatividade de Albert Einstein e a teoria padrão de partículas fundamentais. Tudo isso, não só faz desta a teoria mais respeitada, como também levanta uma série de novos questionamentos, tais como : o universo pode estar em constante expansão ou, ao em vez disso, um evento semelhante ao Big Bang pode fazer com que todo o universo se comprima novamente (Big Crunch).
Junto com a Teoria do Bing Bang, esta é uma das teorias mais aceitas e mais bem fundamentadas. Ela não desmente a teoria do Bing Bang e sim a complementa.
A teoria da inflação cósmica, popularmente conhecida como a teoria inflacionária, formulada pelo grande cosmólogo e físico americano Alan Guth, tenta explicar o surgimento do Universo segundo estudos de campos gravitacionais fortíssimos, como aqueles encontrados próximos a um buraco negro. Esta teoria pressupõe que uma única força foi dividida em outras quatro forças, que hoje conhecemos como as quatro forças fundamentais do universo: força da gravidade, força eletromagnética, força nuclear forte e nuclear fraca. Essa divisão provocou a origem do universo. O impulso inicial durou um tempo praticamente nulo, mas foi tão violento que, apesar da força da gravidade retardar as galáxias, o universo ainda está em crescimento.
Inflação Cósmica
Junto com a Teoria do Bing Bang, esta é uma das teorias mais aceitas e mais bem fundamentadas. Ela não desmente a teoria do Bing Bang e sim a complementa. A teoria da inflação cósmica, popularmente conhecida como a teoria inflacionária, formulada pelo grande cosmólogo e físico americano Alan Guth, tenta explicar o surgimento do Universo segundo estudos de campos gravitacionais fortíssimos, como aqueles encontrados próximos a um buraco negro.
Esta teoria pressupõe que uma única força foi dividida em outras quatro forças, que hoje conhecemos como as quatro forças fundamentais do universo: força da gravidade, força eletromagnética, força nuclear forte e nuclear fraca. Essa divisão provocou a origem do universo. O impulso inicial durou um tempo praticamente nulo, mas foi tão violento que, apesar da força da gravidade retardar as galáxias, o universo ainda está em crescimento.
Teoria do Estado Estacionário
A teoria do estado estacionário se opõe à tese de um universo em evolução. Os defensores dessa teoria acreditam que o universo é uma entidade que não tem começo nem fim: ela não tem começo porque não começou com uma grande explosão e não tem fim porque não entrará em colapso em um futuro distante, para depois renascer.
O defensor dessa ideia foi o astrônomo Inglês Edward Milne e de acordo com a teoria, os dados coletados pela observação de um objeto localizado a milhões de anos-luz de distância devem ser idênticos aos obtidos ao se observar a Via Láctea a partir da mesma distância. Milne chamou sua tese de princípio cosmológico.
Em 1948, alguns astrônomos retomaram este princípio e acrescentaram novos conceitos, como o princípio cosmológico perfeito. Este princípio estabelece, em primeiro lugar, que o universo não tem origem nem fim já que como a matéria interestelar sempre existiu e, segundo lugar, que a aparência geral do universo não é apenas idêntica no espaço, mas também no tempo.
Teoria do Universo oscilante
A Teoria universo oscilante sustenta que o nosso universo seria o último de muitos surgidos no passado, após sucessivas explosões e contrações. O momento em que o universo entra em colapso sobre si mesmo atraído pela sua própria gravidade, conhecido como Big Crunch, marca o fim do nosso universo e do nascimento de um novo. Esta teoria foi apresentada pelo Professor Paul Steinhardt, um professor de física teórica da Universidade de Princeton.
Fonte: http://www.vix.com

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton