15 de dezembro de 2010

Como os astrônomos encontram planetas extra-solares?

      Crédito: NASA, ESA, G. Bacon (STScI para)
Existem cinco principais táticas que os astrônomos usam para localizar planetas que estão fora do nosso sistema solar. Acredite se quiser, a que se revelou mais bem-sucedida provavelmente utiliza técnicas de observação do céu amadoras. Os planetas que orbitam estrelas localizadas fora do nosso sistema solar são chamados de exoplanetas, ou planetas extra-solares. Existem vários tipos de exoplanetas: desde os extremos, os gigantes gasosos com 60 vezes a massa de Júpiter que giram em torno de suas estrelas em órbitas frenéticas, até os rochosos “super-Terras”, muito mais massivos do que o nosso planeta. Esses mundos estão muito longe para serem vistos diretamente, mas os astrônomos podem procurar os efeitos que eles têm sobre os seus próprios sóis, outros corpos espaciais, ou mesmo ondas de luz. O método de velocidade radial, também conhecido como método de Doppler, analisa a velocidade com que uma estrela se move em direção ou para longe da Terra, conforme a atração gravitacional de um planeta a puxa para trás e para frente. O método de astrometria funciona de forma semelhante, exceto que os astrônomos medem a distância que a estrela oscila durante longos períodos de tempo, ao invés da sua velocidade. Outra técnica, chamada de método de microlentes, procura distorções na luz resultantes da força da gravidade. O campo gravitacional de um planeta pode ter um efeito mensurável sobre a luz que passa por ele. Da mesma forma, a técnica de tempo pulsar mede se as ondas de rádio normalmente constantes de uma estrela são interrompidas por um planeta em órbita. Porém, o melhor método se revelou a técnica de trânsito. Ela tira proveito da ligeira quebra na luz das estrelas, que ocorre quando um planeta passa na frente de sua estrela. Ao medir a diminuição desse brilho, os astrônomos podem dar informações úteis sobre um planeta em trânsito, incluindo a sua massa e tamanho. Em 2006, os astrônomos usaram essa técnica para descobrir o exoplaneta TrES-2, usando telescópios de 10 centímetros construídos a partir de uma combinação de componentes e lentes sob medida. A técnica de trânsito é a que descobriu mais exoplanetas até agora. Até 22 de novembro de 2010, os astrônomos tinham confirmado 502 exoplanetas. Em comparação, uma nave espacial que usa o método do trânsito tem detectado mais de 700 exoplanetas em potencial desde que foi lançada, em 2009.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...