20 de julho de 2018

Grandes fusões


Quem olha a imagem acima numa primeira vez, pensa que a imagem foi feita através de uma lente com problema, mas as distorções mostradas na imagem feita pela Wide Field Camera 3 do Hubble, foi na verdade feita utilizando um fenômeno cósmico natural. O brilhante objeto no centro da imagem é o aglomerado de galáxias conhecido como SDSS J1336-0331.

A enorme influência gravitacional do aglomerado distorce o seu ambiente ao redor, a fábrica do espaço-tempo ao redor, criando um efeito conhecido como lente gravitacional forte. Através dessa lente gravitacional, a luz das galáxias de fundo que estão alinhadas com a visão do observador é distorcida, criando arcos fantásticos. Esse efeito é muito útil para estudar objetos distantes como as galáxias.

Além disso o SDSS J1336-0331 é interessante por si só: o aglomerado foi parte de um estudo de formação de estrelas que usou 42 das chamadas Galáxias Mais Brilhantes do Aglomerado, as BCGs, como são chamadas. Normalmente localizadas no centro de seus aglomerados, as BCGs estão entre as mais passivas e mais luminosas galáxias no universo. Elas são geralmente gigantescas galáxias elípticas e provavelmente abrigam em seus núcleos um AGN, ou seja, um núcleo ativo de galáxias.

O estudo descobriu evidências que sugerem que as BCGs são alimentadas por gás frio da galáxia. O estudo também mostrou que a formação de estrelas em BCGs mais velhos no contribui significantemente com o crescimento da galáxia, ao invés disso, o crescimento estelar ocorre através de fusões, a colisão de duas galáxias. Violentas, galáxias grandes ricas em gás, podem disparar a intensa explosão de formação de estrelas.
Fonte: http://spacetelescope.org

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...