Um redemoinho de formação de estrelas

Crédito: ESA / Hubble & NASA, M. Hayes
 
Esse belo e brilhante redemoinho leva o nome nada poético de J125013.50+073441.5. Uma névoa brilhante de material parece engolfar a galáxia, se esticando no espaço em diferentes direções e formando uma faixa difusa na imagem acima. Essa é na verdade uma galáxia de explosão de estrela – nome dado às galáxias que mostram uma taxa de formação de estrelas fora do comum. As regiões onde as novas estrelas estão nascendo são destacadas pelas brilhantes regiões em azul ao longo dos braços das galáxias. O estudo das galáxias de explosão de estrelas pode nos dizer muito sobre a evolução galáctica e sobre a formação das estrelas. Essas galáxias iniciam com uma grande quantidade de gás, que é então usado para formar novas estrelas.
 
 Esse período de furiosa formação de estrelas é somente uma fase, uma vez que todo o gás é usado, essa formação de estrelas diminui. Outras famosas galáxias de explosão de estrelas capturadas pelo Hubble são as Galáxias Antenas, e a Messier 82, a última apresenta uma taxa de formação de estrelas dez vezes maior que a da Via Láctea. Os dados para essa imagem foram coletados pela Wide Field Camera 3 do Hubble como parte de um estudo chamdo de LARS (Lyman Alpha Reference Sample), que tem como objetivo investigar a interação entre a radiação e a matéria em galáxias de explosão de estrelas relativamente próximas. A J12013.50+073441.5 está incluída nesse estudo como um dos 14 alvos selecionados. Esse estudo tem caracterizado como um certo tipo de emissão conhecida como Emissão Lyman-Alpha interagem com o gás próximo, afetando como ela viaja através do espaço.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tipos de Estrelas

Galéria de Imagens - Os 8 planetas de nosso Sistema Solar

Nova Classificação do Sistema Solar

Como surgiu o primeiro átomo?

Os satélites naturais do Sistema Solar

Johannes Kepler

Veja os 10 maiores mistérios das estrelas

Isaac Newton